quarta-feira, 24 de junho de 2015

QUEM FALOU QUE EU TENHO QUE SABER?


É sexta-feira a tarde e recebo a ligação do consultório da ginecologista, marcando aquela consulta que eu já aguardava há meses pra segunda as 9:40 da manhã. Primeiro pensamento: ótimo! Há meses que estou esperando pra fazer meu exame de rotina e meu querido aparelho reprodutor feminino não tem cooperado. Segundo pensamento: OH MEU DEUS! TENHO QUE DEPILAR! A sua depiladora (aquela que você custa a estabelecer uma relação de intimidade, porque convenhamos, né gente?!...), não tem horário, nem aquela outra, nem a outra... Essa é a hora em que me permito desesperar.Eu até tenho aquele aparelhinho "Satinelle" mas na virilha, não tem a mínima chance, e minha intenção era fugir léguas da lâmina.


Bem então corro até a perfumaria, e me deparo com uma prateleira lotaaaaaada de produtos de marcas, preços, formatos, e aplicações variadas. Eu decidi então uma tal folha depilatória, por parecer mais simples, depois de ler várias instruções de "modo de uso" de muitos daqueles produtos.
Parecia um ritual me preparei e lá fui eu pro banheiro me depilar, achando que ia sair dali uma "menininha" sem pelos pubianos. [música de quem quebra a cara] Tudo que eu consegui além de frustração e revolta por jogar dinheiro fora, foram algumas dezenas de pelos que realmente foram removidos, uma pele grudenta da cera que não saiu, e uns hematomas muito feios. Bem... não dá pra postar foto dessa experiência, é muito claro o motivo, mas ela me fez refletir muito.
No tempo da minha avó, e até da minha mãe a mulher tinha que saber cozinhar, costurar, lavar, enfim... cuidar de um lar e de seu marido, era quase que natural isso. Graças a alguns sutiãs queimados, hoje a gente tem que saber depilar, fazer o delineado de gatinho, olho esfumado, unhas, andar no salto meia-pata, fazer escova, babyliss... E se não consegue fica frustrada como eu fiquei? Será que sou menos mulher ou menos feminina por que não dou conta de tudo isso?
As vezes vejo homens comentando sobre nós e pra falar a verdade acho que nem eu consigo desvendar o universo feminino! É claro que vou continuar com minha "ditadura de beleza" até onde eu acho "normal" mas que vez ou outra ela é bem frustrante e injusta conosco, ah... ela é. Mas não será isso que definirá a mulher que sou. Nem a que você é.

Nenhum comentário:

Postar um comentário